Planeta Azul

Loading...

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Natureza

   Rios, montanhas, planícies, desertos, florestas... de tudo a natureza nos dá! O ar puro que respiramos, a beleza do pôr-do-sol, os raios de luz que iluminam a nossa vida.
   Natureza é talvez o nome da coisa mais bela deste planeta. Se bem que tem dois " constituintes": a Fauna e a Flora.
   A Fauna é a respeito dos animais... a Flora é das plantas e os demais.
   Há quem diga que a Natureza nada seria sem o Sol... é verdade! Mas o racionalismo deve ser deixado de parte por vezes, caso contrário perde-se os melhores momentos da vida.
   A Natureza inspira muitos artistas... como Vivaldi, por exemplo.
   A Natureza é o "pesadelo" de alguns cientistas! Mantêm-se misteriosa, e oculta muitos mistérios...
   A Natureza protege milhões de espécies, e há quem não respeite isso!
 
   Natureza... o maior milagre que a terra nos podia dar!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Floresta- Ida à Mata da Conceição

   Hoje, a nossa turma foi à Mata da Conceição plantar árvores!
   Não plantámos muitas árvores, comparado com a quantidade que algumas equipas plantam! Mas por vezes, um pequeno gesto ajuda muito!
   As árvores, para chegarem a adultas, demoram muito. Mas basta um incêndio...
   "  Para crescer é quase meio século, mas basta um pequeno fósforo para em 5 minutos muitos hectares serem destruídos!"
 
   As árvores são fundamentais para a nossa existência! Sem árvores, sem humanidade!
 
   Criar uma floresta é difícil, mas um incêndio destrói tudo! É por isso que se tomam medidas para o combate aos fogos!
   Por favor, antes de deitar uma beata para o chão ou não apagar uma fogueira devidamente, pense na floresta!

O impedimento dos fogos florestais está nas nossas mãos!



quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Alegría

   "Alegría" é o genérico do Cirque du Soleil. É uma música do estilo barroco, e representa um dos últimos grandes circos do mundo!
   É uma música que emociona muitas pessoas, devido à sua beleza!
   Tem uma mistura de italino, espanhol e inglês, e um significado muito forte! Abaixo, encontram a letra desta música!

"Alegría"

Alegría
Come um lampo di vita
Alegría
Come un pazzo gridar
Alegría
Del delittuoso grido
Bella rugente pena, seren
Come la rabbia di amar
Alegría
Come un assalto di gioia

Alegría
I see a spark of life shining
Alegría
I hear a young minstrel sing
Alegría
Beautiful roaring scream
Of joy and sorrow, so extreme
There is a love in me raging
Alegría
A joyuos, magical felling

Alegría
Come un lampo di vita
Alegría
Come un pazzo gridar
Alegría
Del delittuoso grido
Bella rugente pena, seren
Come la rabbia de amar
Alegría
Come un assalto de gioia

Del delittuoso grido
Bella rugente pena, seren
Come la rabbia de amar
Alegría
Come un assalto di gioia

Alegría
Como la luz de la vida
Alegría
Como un payaso que grita
Alegría
Del estupendo grito
De la tristeza loca, serena
Como la rabia de amar
Alegría
Como un asalto de felicidad

Del estupendo grito
De la tristeza loca, serena
Como la rabia de amar
Alegría
Como un asalto de felicidad

There is a love in me raging
Alegría
A joyous, magical felling

Conforme visto em
Página Oficial de Daniel  Estulin

   Espero que tenham gostado!


Presépio de Natal Comunitário (Escola DPaio Peres Correia - Tavira)



Um trabalho muito bem feito pelos alunos da escola Dom Paio Peres Correia!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Plágio

   Plágio... o que é plágio?
  Plágio é o acto de copiar um documento sem a respectiva autorização do autor ou sem referir a fonte. O plágio acontece a toda a hora. Nas universidades, na internet, nas escolas...
   Plágio, além de errado, é crime, e o plagiador pode apanhar uma multa. Até copiar da Wikipédia, uma fonte pública, sem referir a fonte ou dar créditos é considerado plágio!
   Mas o que leva as pessoas a cometer plágio?
   A falta de originalidade ou querer ser reconhecido! Por vezes a inveja também serve de motivo!

   Quando uma pessoa vê o seu trabalho publicado noutro sítio, com os devidos créditos, pode orgulhar-se, pois isso prova que o seu trabalho é um bom trabalho! Mas quando vê o seu trabalho publicado noutro lado sem créditos, uma pessoa fica com o moral em baixo: ver o trabalho a que se tinha dedicado pesquisa árdua ou se tinha feito simplesmente por gozo publicado com outra pessoa a afirmar que o trabalho era seu, deita uma pessoa abaixo, e a parte psicológica dessa pessoa pode ficar muito afectada!
   Por vezes também acontece o plagiador insultar o plagiado, o que é pior!

   A originalidade é algo de que nos podemos orgulhar, é algo que nos leva longe! O plágio, por sua vez, nunca dará frutos, e uma pessoa nunca obterá bons resultados se plagiar!
   Ser original não custa! Seja contra-plágio!



Feito originalmente por uma aluna

quarta-feira, 1 de junho de 2011



Sabias que os peixes dourados são quase pretos quando saem do ovo???

Quando os peixes dourados saem do ovo têm uma cor escura, quase negra. À medida que crescem, muitos adquirem uma cor alaranjada. Porem, alguns ficam brancos e não cor-de-laranja, quando crescem.



Então já sabias???
O soubeste por nós responde-nos num comentário simpático.......









Retirado do livro Vida Aquatica

A Galáxia



A palavra galáxia deriva do termo grego para a nossa galáxia, galáxias, ou kyklos galaktikos, que significa "círculo leitoso", devido à sua aparência no céu. Na mitologia grega, Zeus colocou seu filho concebido com uma mortal, o pequeno Hércules, no seio de Hera enquanto ela dormia, para que, bebendo o leite divino, o garoto se tornasse imortal. Hera acordou enquanto amamentava e notou que estava alimentando um bebé desconhecido: a deusa empurrou o bebé e um jato de seu leite se espalhou pelo céu nocturno, produzindo a faixa apagada de luz conhecida como Via Láctea.
Na literatura astronómica, a palavra Galáxia (com letra maiúscula) é usada para se referir à nossa galáxia, em distinção das bilhões de outras galáxias.
Quando William Herschel elaborou o seu catálogo de objectos do céu profundo, ele utilizou o nome nébula espiral para objectos como a M31. Quando a verdadeira distância de tais objectos foi compreendida, eles foram reconhecidos como imensos conglomerados de estrelas, sendo denominados universos-ilhas. Entretanto, como o termo universo carregava a ideia de totalidade de tudo que existe, essa expressão caiu em desuso e os objectos acabaram conhecidos como galáxias.

Caso dos pepinos infectados



Horas depois de fazer chegar aos médicos do Serviço Nacional de Saúde um conjunto de orientações relativas ao surto infeccioso provocado por uma bactéria detectada no Norte da Alemanha em pepinos importados de Espanha, o Director-geral de Saúde (DGS ), Francisco George, garante ao Expresso que Portugal está pronto para tratar eventuais viajantes que cheguem a território nacional.
Em contacto permanente com as autoridades alemãs, a DGS já colocou de prevenção o laboratório do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, onde serão realizadas as análises que permitirão confirmar o diagnóstico clínico.
As infecções por Escherichia coli entero-hemorrágica (E.coli) têm um período de incubação de entre três a oito dias e causam uma gastroenterite aguda, frequentemente acompanhada de febre, vómitos, dor abdominal e diarreia sanguinolenta.
A doença tem uma duração de entre cinco a sete dias.
O surto infeccioso causado por uma variante extremamente agressiva da bactéria, a Síndrome Hemolítica Urémica (HUS), que provoca graves danos renais, intestinais e no sistema nervoso central, já provocou a morte a 15 pessoas na Alemanha e uma na Suécia.
Aos 16 mortos somam-se 1.400 infectados, dos quais 350 padecem da síndrome.

http://aeiou.expresso.pt/bacteria-dos-pepinos-dgs-em-alerta-audio=f652495

Machu Picchu

Machu Picchu é o sítio arqueológico mais conhecido da América do Sul. Fica a aproximadamente 150 km de Cuzco no Peru.
As ruínas ficam em uma montanha a 2.560 metros de altura acima do nível do mar. Recebe a visita de aproximadamente 500 mil turistas por ano.
O acesso se dá por trem desde Cuzco até Águas Calientes (na base do morro onde está Machu Picchu). Micro ônibus levam os visitantes de Águas Calientes até Machu Picchu.
Muitos esqueletos foram encontrados, sendo 80% de mulheres. Uma recente teoria diz que era a cidade das mulheres escolhidas do Inca e que já estava vazia quando os espanhóis chegaram na região. Isto explica porque não foi mencionada pelos conquistadores.


cascatas em Tavira




Tavira é opulenta no seu património histórico com a sua Praça Principal, as suas 37 igrejas a ponte romana e outros monumentos, não esquecendo o magnífico Castelo que proporciona um passeio pela cidade bastante enriquecedor. Do cimo da Torre de Tavira, o visitante poderá desfrutar de um olhar fascinante sobre esta bela cidade. O Jardim junto ao rio Gilão oferece agradáveis momentos de descanso.
Cidade essencialmente piscatória nas suas origens, baseia a sua gastronomia nos produtos do mar com os quais prepara deliciosos pratos entre eles os choquinhos com tinta, as lulas fritas, o atum e o polvo preparado das mais diversas maneiras. As especialidades da serra são a perna de cabrito no forno e a açorda de galinha e para sobremesa um delicioso folhado de Tavira ou uma bola de figo. Entre outros eventos, salientamos a feira mensal de produtos biológicos.
Se é amante da natureza, tem um bom motivo para fazer a travessia do rio e ir até à ilha de Tavira conhecer a praia de Cabanas ou do Barril que apresentam belíssimas paisagens entre as dunas e o Cemitério das Âncoras. Toda esta zona de ilhas encontra-se inserida no Parque Natural da Ria Formosa, sendo possível observar algumas espécies de flora e aves.
O Barrocal de Tavira oferece também variadíssimos pontos de interesse.A Freguesia de Santo Estêvão localiza-se mais ou menos a 17 km de Tavira. Seguindo a direcção de Moinhos da Rocha, encontra o Pego do Inferno, local ideal para relaxar e ouvir os sons da natureza. São pequenas cascatas que se formam no curso da Ribeira de Asseca e nas suas margens podemos observar diversas espécies, como o cágado, o sapo e o ouriço caixeiro.
O Parque das Merendas, em Santa Catarina da Fonte do Bispo, é um local onde predomina o pinheiro manso proporcionando um lugar agradável para um piquenique. O camaleão, um simpático réptil já em vias de extinção, encontra aqui o seu habitat preferido.
No mês de Maio, na aldeia do Cachopo, é organizada a Festa de Artesanato onde artesãos partilham o seu saber com quem os visita. O Núcleo Museológico também é um lugar de interesse a conhecer. E na freguesia de Santa Luzia em Pedras d’El Rei, encontra-se uma oliveira bimilenária com uma copa de 7,7 metros de altura e um diâmetro de 11,8 metros.

Artigo publicado por: Carlos e Gabriel
Fonte: http://albufeira.com/algarve/pt/tavira/

Visita de estudo ao Pego do Inferno





No dia 25 de Maio, a turma do 5ºA da escola Dom Paio Peres Correia, realizou uma visita de estudo ao Pego do Inferno, onde fomos também à Cascata do Pomarinho. A Cascata do Pomarinho é uma cascata desconhecida no lado inverso do Pego do Inferno, e faz parte de um conjunto de mais duas cascatas: a Cascata da Torre e o Pego do Inferno.
A Cascata do Pomarinho é um óptimo sítio para fazer um piquenique e refrescar o corpo, também é um sítio onde se respira ar puro, ouvir os pássaros e inspirar-nos para reproduzir algo criativo. E entre muitas outras coisas, é um lugar óptimo para dar a conhecer ao Mundo.
A visita de estudo foi engraçada e aconselhamos a visitar a Cascata do Pomarinho.

Feito por: Inês Gomes Nº14 e Ana Beatriz Nº2

O Dia Mundial da Criança


O primeiro Dia Mundial da Criança foi em 1950. Após a 2ª Guerra Mundial, em 1945, os países da Europa, o Oriente Médio e a China, entraram em crise. As populações destes países viviam muito mal, em especial as crianças. Os adultos estavam preocupados em retornar a sua vida quotidiana normal, relegando a educação a último plano. Muitos ficaram órfãos, e muitos que tinham ainda seus pais vivos tiveram de ir trabalhar em trabalhos pesados para contribuir para o sustento da família. Foi quando em 1946, a ONU (Organização das Nações Unidas), começou a tentar mudar esta situação, deu-se então o surgimento da UNICEF que é conhecida mundialmente pelo que faz pelas crianças em todo o mundo!Apesar de todos os esforços na altura, ainda era difícil fazer com que o mundo olhasse para os direitos das crianças. Então em 1950 a Federação Democrática Internacional das Mulheres, propôs a ONU que fosse criado um dia dedicado as crianças em todo o mundo. Este dia foi comemorado pela primeira vez em 1 de Junho de 1950.
Hoje, mais uma vez, é dia mundial da criança. É um dia especial para todos nós pois as crianças são o futuro do nosso país e do nosso planeta. São seres indefesos que precisam e merecem todo o nosso carinho, amor e amizade. Vivam as crianças!!!!!



Visita ao Pego do Inferno



Numa visita realizada ao Pego do Inferno, verificámos que esse local é algo mais do que se pensa: não só é uma cascata, talvez centenária, como também um parque com maravilhas e uma grande diversidade de plantas.
Recolhemos várias amostras de plantas, como também as identificámos com os seus respectivos nomes. E verificámos que algumas delas tem muitas utilidades.
Passado o tempo dedicado àquele parque, tomámos como destino o Pego do Pomarinho.
Quando lá chegámos, avistámos um sítio lindo. Água fresca, dividida em três “ compartimentos”: um mais raso e amplo, um mais acidentado, e um que escorregava até ao sítio onde a cascata “desabava”.
Em pequenas poças andavam alfaiates (pequenos insectos).
Foi tudo tão bonito… apenas temos uma conclusão: nem mil fotos descreveriam o que nós sentimos!

Dia Mundial da Criança

ARTIGO 19º (da Convenção, assinada em 1989)
"Ninguém deve exercer sobre a criança qualquer espécie de maus-tratos. Os adultos devem protegê-la contra abusos, violência e negligência. Mesmo os próprios pais não têm o direito de a maltratar."

“a criança, por motivo da sua falta de maturidade física e intelectual, tem necessidade de uma protecção e cuidados especiais...”.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o Dia Mundial da Criança não é só uma festa onde as crianças ganham presentes.
É um dia em que se pensa nas centenas de crianças que continuam a sofrer de maus-tratos, doenças, fome e discriminações (discriminação significa ser-se posto de lado por ser diferente).

Sabias que o primeiro Dia Mundial da Criança foi em 1950?
Tudo começou logo depois da 2ª Guerra Mundial, em 1945.
Muitos países da Europa, do Médio Oriente e a China entraram em crise, ou seja, não tinham boas condições de vida.
As crianças desses países viviam muito mal porque não havia comida e os pais estavam mais preocupados em voltar à sua vida normal do que com a educação dos filhos. Alguns nem pais tinham!
Como não tinham dinheiro, muitos pais tiravam os filhos da escola e punham-nos a trabalhar, às vezes durante muitas horas e a fazer coisas muito duras.
Sabias que mais de metade das crianças da Europa não sabia ler nem escrever? E também viviam em péssimas condições para a sua saúde.
Em 1946, um grupo de países da ONU (Organização das Nações Unidas) começou a tentar resolver o problema. Foi assim que nasceu a UNICEF.
Mesmo assim, era difícil trabalhar para as crianças, uma vez que nem todos os países do mundo estavam interessados nos direitos da criança.
Foi então que, em 1950, a Federação Democrática Internacional das Mulheres propôs às Nações Unidas que se criasse um dia dedicado às crianças de todo o mundo.
Este dia foi comemorado pela primeira vez logo a 1 de Junho desse ano!

Com a criação deste dia, os estados-membros das Nações Unidas, reconheceram às crianças, independentemente da raça, cor, sexo, religião e origem nacional ou social o direito a:
- afecto, amor e compreensão;
- alimentação adequada;
- cuidados médicos;
- educação gratuita;
- protecção contra todas as formas de exploração;
- crescer num clima de Paz e Fraternidade universais.

Sabias que em só nove anos depois, em 1959 é que estes direitos das crianças passaram para o papel?
A ONU reconheceu também que “em todos os países do mundo há crianças que vivem em condições particularmente difíceis e a quem importa assegurar uma atenção especial, tendo devidamente em conta a importância das tradições e valores culturais de cada povo para a protecção e o desenvolvimento harmonioso da criança e a importância da cooperação internacional para a melhoria das condições de vida das crianças em todos os países, em particular nos países em desenvolvimento.”

A 20 de Novembro desse ano, várias dezenas de países que fazem parte da ONU aprovaram a "Declaração dos Direitos da Criança".
Trata-se de uma lista de 10 princípios que, se forem cumpridos em todo o lado, podem fazer com que todas crianças do mundo tenham uma vida digna e feliz.
Claro que o Dia Mundial da Criança foi muito importante para os direitos das crianças, mas mesmo assim nem sempre são cumpridos.
Então, quando a "Declaração" fez 30 anos, em 1989, a ONU também aprovou a "Convenção sobre os Direitos da Criança", que é um documento muito completo (e comprido) com um conjunto de leis para protecção dos mais pequenos (tem 54 artigos!).

Estão escritos de uma forma mais simples para tu os perceberes melhor.

Esta declaração é tão importante que em 1990 se tornou lei internacional!

Fonte

A visita ao Pego do Inferno


Nós a turma 5ºA, no dia 25 de Maio do ano de 2011 fomos visitar o Pego do Inferno. Lá fizemos várias coisas, como caminhar e recolher plantas.

Fizemos uma longa caminhada e parámos várias vezes para fotografar plantas e também a cascata que existia no Pego. Depois da nossa caminhada, parámos para lanchar e também cantámos os parabéns a um colega nosso que fazia anos naquele dia, ele chama-se Ian. De seguida fomos visitar um outro Pego que quase ninguém conhecia. Nesse Pego havia três cascatas e era muito bonito, chama-se Pego do Marim.

Lá também parámos para mais uma vez fotografar plantas, flores e aquelas três lindas cascatas.

Gostámos muito de ir ao Pego do Inferno e de conhecer o Pego do Pomarim!!!

Trabalho realizado por: Helena e Diogo da turma 5ºA

O Dia Mundial da Criança







O Dia Mundial da Criança, oficialmente, é 20 de Novembro, data que a ONU reconhece como Dia Universal das Crianças por ser a data em que foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança. Porém, a data efectiva de comemoração vária de país para país.


Em Portugal
Em Portugal, o dia das crianças é festejado em 1 de Junho, pois o mês de Maio homenageia Maria, mãe de Jesus. O dia da criança foi comemorado, pela primeira vez, no mundo inteiro a 1 de Junho de 1950. Assim foi formado o dia das crianças
No Brasil
Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho nascido em nova Friburgo.
Cidade serrana do estado do Rio de Janeiro teve a ideia de "criar" o dia das crianças. Os deputados aprovaram e o dia 12 de Outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Artur Bernardes, por meio do decreto nº 4867, de 5 de Novembro de 1924.
Mas somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto" e aumentar suas vendas, é que a data passou a ser comemorada. A estratégia deu certo, pois desde então o dia das Crianças é comemorado com muitos presentes.
Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança, para aumentar as vendas. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto. A partir daí, o dia 12 de Outubro se tornou uma data importante para o sector de brinquedos no Brasil

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_Mundial_da_Criança

Visita ao Pego do Inferno




No dia 25 de Maio, fomos ao Pego do Inferno na disciplina de ARP. Fomos de autocarro, e quando chegámos, começámos a caminhar em direcção à cascata que se encontra no Pego. Quando chegámos ao sítio que era previsto chegar, apreciámos a paisagem e começámos a lanchar. Como um amigo nosso fazia anos, o Ian, a mãe dele trouxe um pequeno bolo e repartimos entre todos. Lanchámos, e a professora Patrícia, a professora que nos acompanhava, levou-nos até o Pego do Pomarinho, que ficava aproximadamente a um quilometro de distância do Pego do Inferno. Tivemos que andar muito, mas quando chegámos, ficámos encantados com aquelas cascatas mas pequeninas. O espectáculo era lindo.
Ficámos impressionados, e, cheios de pena pois já tínhamos de ir embora. Também tínhamos passado por um pequeno lago muito bonito com uma pequenita cascata e atirávamos canas para o pequeno lago para vermos como descia na pequenita cascata. Realmente, o passeio foi muito agradável, mas, infelizmente tivemos de ir embora
.




Realizado por Vlada e Valter

Nº's 20 e 21 5ºA

A Raposa do Árctico




A Descrição

Tem 50 cm a 1 metro de comprimento e, até os ombros, tem 28 cm de altura. Pesa de 2,5 a 7 kg. Vive de 3 a 10 anos. A pelagem da raposa varia conforme a estação do ano, sendo branca no Inverno e castanha-parda no Verão. A camada de pêlo externo da raposa cobre o denso, espesso e muito quente pêlo de baixo. Tem pequenas orelhas revestidas de pêlo que ajudam a reter o calor. As patas são relativamente grandes para evitar que ela afunde na neve fofa e têm pêlo lanudo nas patas que funciona como antiderrapante e confere isolamento. A cauda é pequena, espessa e densa, medindo 30 cm.

Comportamento

As raposas do árctico cobrem vastas distâncias algumas mais de 2.300 km todos os anos procurando comida. Acasalam com o mesmo par toda a vida e enquanto estão procriando, partilham o território com outros casais, geralmente construindo a toca em uma zona abrigada e sem gelo ou entre pedras. Essas tocas são complexas na sua construção, chegando a atingir 250 entradas. Algumas têm utilização contínua ao longo da mais de 300 anos. A raposa usa a toca como esconderijo para o mau tempo, despensa para armazenar comida que sobra, abrigo para as crias ou para a fuga de predadores, mas não hiberna nela. Quando o tempo está muito ruim, escava uma cova na neve, enrosca-se e enrola a cauda à volta dos pés e pernas para se aquecer.

Alimentação

As raposas do árctico caçam lemingues, ratos e outros pequenos mamíferos. Também apanham caranguejos e peixes na costa, bem como aves marinhas e seus ovos. A carne putrefata é uma parte importante da sua dieta; elas seguem os ursos-polares para se banquetearem com os restos das suas matanças de focas. As raposas do ártico também comem bagas. Em épocas de fartura, armazenam as sobras de carne em suas tocas, alinhando ordenadamente aves sem cabeça ou cadáveres de mamíferos. Essas reservas são consumidas nos meses de inverno.


Reprodução


No início do verão, um casal de raposas do Árctico produzem uma ninhada de em média seis à dez crias .O período de gestação da raposa do árctico dura 50 dias. Os progenitores e ocasionalmente outras fêmeas ajudantes tratam as crias. Elas são desmamadas com cerca de nove semanas e deixam a toca com 15 semanas. Durante sua permanência no ninho, as crias e os seus progenitores comem cerca de 4 mil lemingues, sua presa favorita. Os números de raposas do árctico estão ligados à disponibilidade da sua presa e variam de acordo com ela.


Cristo Redentor

A estátua do Cristo Redentor começou a ser planejada em 1921, quando foi organizada a "Semana do Monumento" — uma campanha para recolher contribuições dos católicos. No entanto, as doações só começaram 10 anos depois quando o Arcebispo Dom Sebastião Leme passou a coordená-la. Os primeiros esboços do Cristo foram feitos pelo pintor Carlos Oswaldo, que o imaginou carregando uma cruz, com um globo terrestre nas mãos, sobre um pedestal que simbolizaria o mundo. Mas foi a população carioca que optou pela forma da imagem do Redentor de braços abertos, como ela é hoje conhecida no mundo inteiro.
O projeto foi desenvolvido pelo engenheiro Heitor da Silva Costa e levou quase cinco anos para ser concluído.
Foram estudados vários materiais para o revestimento da estátua, mas por fim foi escolhida a pedra-sabão, utilizada por Aleijadinho para esculpir os Profetas em Congonhas do Campo, Minas Gerais. Embora seja um material fraco, que pode ser riscado até com uma unha, é extremamente resistente ao tempo e não deforma nem racha com as variações de temperatura.
Construir o monumento não foi fácil. Como a execução da obra era impossível no Brasil, os desenhos foram levados para a França, aos cuidados do escultor polonês Paul Landowski. De volta ao país, as peças foram transportadas nos trens da Estrada de Ferro do Corcovado e montadas no alto do morro.
O Cristo Redentor, uma homenagem à religiosidade, tornou-se um símbolo do Rio de Janeiro e do encanto mundial, que recebe a todos de braços abertos.

http://www.starnews2001.com.br/cristo.html

A violência no namoro

A violência no namoro é identificada através de maus-tratos físicos e psicológicos, abusos e violências sexuais, etc.
É causada normalmente por ciúmes possessivos, perturbações psicológicos, uso de álcool e drogas.

As consequências da violência no namoro poderão ser: a perda de apetite, nódoas negras no corpo ou no rosto, nervosismo, tristeza, ansiedade, sentimento de culpa, baixa auto-estima, depressão, gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis, baixo rendimento escolar e até suicido.

Nós gostaríamos de dizer a todos aqueles que sofrem destes problemas que podem recorrer à ajuda da polícia ou ainda à APAV. Eles vos ajudarão a resolver os vossos problemas. Não desistam de viver.

Fim

Carlos e Gabriel

Visita de estudo aos Pegos

No dia 25 de Maio de 2011, eu e a minha turma fomos a uma visita de estudo ao Pego do Inferno. Quando chegámos ao sítio destinado observamos muitas oliveiras, árvores de fruto, vegetação variada. Antigamente as pessoas usavam esse lugar para utilizações domésticas. Sobretudo as rochas que envolvem o local eram usadas para ajuda na lavagem da roupa.
Continuamos a caminhar até que chegámos ao Pego. Quando parámos para comer, a minha mãe surpreendeu-me com um bolo de aniversário, pois este era o dia do meu aniversário. Cantámos os parabéns e voltámos a caminhar até ao Pego do Pomarinho.
Pelo caminho encontrámos várias árvores de fruto, mas a que mais se via era o limoeiro, apanhámos alguns limões e levámos eles o caminho inteiro.
Um tempo depois, chegámos ao outro Pego mas as suas cascatas eram mais pequenas do que a do Pego do Inferno. Havia insectos na água, por isso não nadámos. O ar que se respirava era um ar puro. O som da água das cascatas era reconfortante e belo. O som da natureza era encantador, dava gosto de se ouvir e de se sentir. Voltámos para o autocarro e regressámos à escola.

Foi muito fixe!!!!


Autores: Ian Hou e António Vitorino

A visita ao Pego do Inferno


No dia 25 de Maio fomos ao Pego do Inferno, de camioneta. Vimos a cascata no Pego do Inferno, muitas plantas, árvores de fruto e insectos, lanchámos em frente da cascata, sentámo-nos nas pedras a apreciar a paisagem e depois caminhámos por volta de 1 km onde fomos ter ao Pego do Pomarinho. Este Pego foi uma descoberta incrível para muitos dos meus colegas, pois muitos não o conheciam. É um local bonito, agradável e refrescante. A todos aconselhamos a visitá-lo pois os sons da Natureza e os sons da água do ribeiro é maravilhoso.

Na vinda para a carrinha cantámos músicas e apanhámos limões para levar para casa.


A Cascata do Pego do Inferno

A Cascata do Pego do Inferno é a maior de um conjunto de três cascatas (Cascata do Pomarinho e Cascata da Torre) formadas em tufos calcários existentes na ribeira da Asseca em Santo Estêvão, perto de Tavira, no Algarve. Tufo calcário é um tipo de rocha formada em águas de origem cársica que após perderem dióxido de carbono ficam sobressaturadas em carbonato de cálcio que se acumula no fundo de cursos de água, em cascatas, lagos ou qualquer outro ambiente aquático.
Esta cascata, uma das mais curiosas de Portugal, cuja queda de água não é muito alta, ronda os três metros, dá origem a uma lagoa de tons verdes azeitona. Cor quente e mediterrânica que lhe advém da profundidade das suas águas e da cor dos terrenos e da vegetação onde se insere.
Sobre esta cascata e a sua lagoa contam-se lendas e histórias que aumentam em muito a profundidade da lagoa que após medições foi certificada em cerca de sete metros.



quarta-feira, 18 de maio de 2011

Museu da Lourinhã




O Museu da Lourinhã nasce da vontade de um grupo de amigos, curiosos da etnologia e arqueologia, que fazem dos seus tempos livres uma verdadeira "estufa incubadora" de ideias e projectos.
Estávamos em 1979 e este grupo de amigos, não passava disso mesmo: de um grupo de pessoas com uma paixão comum: o património local.
Com o aprofundar da actividade do grupo que, de forma espontânea e gradual veio ocupar um papel fundamental no panorama cultural do concelho, surge a necessidade de dotá-lo de um diferente tipo de enquadramento jurídico.
O GEAL - Grupo de Etnologia e Arqueologia da Lourinhã - é então oficialmente fundado (1981), e servirá de base estrutural à criação do Museu da Lourinhã. É agora sob o estatuto de Associação de Utilidade Pública.




Museu do Ar

O Museu do Ar, sediado no Complexo Militar de Sintra - Granja do Marquês, Base Aérea nº1 e com dois pólos visitáveis, em Alverca e em Ovar, foi criado em 21 de Fevereiro de 1968, está na dependência do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea e tem como objectivo expor o património histórico da Força Aérea.
Foi oficialmente inaugurado em 1 de Julho de 1968, dia da Força Aérea Portuguesa.
Simultaneamente, foi criado o Grupo de Amigos do Museu do Ar por iniciativa do Coronel Edgar Cardoso, que continua hoje a contribuir para o enriquecimento e potencial deste Museu.
O Museu do Ar é hoje considerado pela crítica internacional como um dos vinte melhores Museus de Aviação do Mundo graças à conservação de um acervo composto por perto de 10.000 peças repartido entre três pólos: Granja do Marquês, Sintra (Base Aérea nº 1), Alverca e Ovar (Aeródromo de Manobra nº 1). No ano em que se celebraram os Cem Anos da Aviação Portugal, o Museu do Ar requalificou e ampliou as suas instalações na Granja da Marquês, incorporando dois valiosos acervos provenientes da TAP e da ANA, alargando o seu olhar ao mundo da Aviação Civil.O Museu do Ar é membro da Rede Portuguesa de Museus, da Associação Internacional dos Museus dos Transportes e do Sistema Ibero-Americano de Museus Aeronáuticos e do Espaço. Tem protocolos de cooperação com diversas entidades nacionais e estrangeiras, conta com a dinâmica do seu Grupo dos Amigos do Museu do Ar (GAMA) e conta com alguns apoios mecenáticos para as suas acções de conservação e restauro.





O dia em si


O Dia Internacional do Museu foi criado em 1971, com motivo central "os museus são um meio importante de troca cultural, enriquecimento das culturas e desenvolvimento de entendimento mútuo, cooperação e paz entre as pessoas".
A 18 de Maio, os museus abrem as portas, as memórias e as histórias, quase sempre de forma gratuita, a um público interessado em conhecê-las e partilhá-las. Neste dia, a cultura e a criatividade saem à rua através de visitas, peças de teatro, animação de rua, concertos, dança, oficinas e outras actividades.
O tema deste ano é "Museus e memória", porque os museus têm nas suas colecções "objectos que são basilares para a memória das comunidades" actuais.


À noite no museu
A Noite Europeia dos Museus foi criada em 2005 pelo Departamento Francês da Cultura, com o apoio daUNESCO. Celebra-se no sábado anterior ao Dia Internacional dos Museus, que este ano é 14 de Maio.
O objectivo desta noite é abrir os museus aos jovens e às famílias e mobilizar os visitantes da Europa para um evento comum que contribua para construir uma "Europa de Cultura".

http://jpn.icicom.up.pt/2011/05/14/cultura_memorias_do_dia_internacional_do_museu.htm

Museu do Brinquedo

O Museu do Brinquedo é um museu regional. Os brinquedos presentes no Museu fazem parte de uma recolha feita ao longo de mais de 60 anos pelo coleccionador João Arbués Moreira. A colecção começou a ser constituída quando tinha 14 anos de idade com os brinquedos que lhe iam sendo oferecidos e outros, pertença de pais e avós. Com a idade, o poder de escolha e de compra aumentou, ao mesmo tempo que crescia a vontade de saber mais acerca das peças que ia encontrando, o seu fabrico, a sua origem, a sua história. Assim se intensificou a pesquisa e aquisição de peças mais antigas e o interesse pela História da Humanidade que os brinquedos tão bem documentam. Com o passar do tempo, a colecção foi aumentando, sendo já constituída por mais de 40.000 brinquedos diferentes. Havia que preservar e expor este património, permitindo ao público tomar contacto com a maior colecção do género em todo o país. Em 1987, foi criada a Fundação Arbués Moreira à qual foi legada toda a colecção. Dois anos mais tarde, um acordo com a Câmara Municipal de Sintra para cedência de um espaço permitiu a criação do Museu do Brinquedo de Sintra. A colecção continuou sempre a crescer, tendo-se o espaço entretanto tornado exíguo para as peças que foram sendo adquiridas e doadas. Era indispensável a criação de um novo local de exposição que permitisse albergar toda a colecção e enriquecer a comunicação entre o público visitante e o Museu. Assim surgiu o novo espaço, situado no antigo Quartel dos Bombeiros de Sintra, onde além da exposição permanente, existe ainda uma sala de exposições temporárias e uma oficina de restauro.


D.Afonso Henriques



D. Afonso I de Portugal, mais conhecido por Dom Afonso Henriques (Guimarães ou Viseu, 1109 (?) — Coimbra, 6 de Dezembro de 1185) foi o primeiro rei de Portugal, cognominado O Conquistador, O Fundador ou O Grande pela fundação do reino e pelas muitas conquistas. Era filho de D. Henrique de Borgonha e de D. Teresa de Leão, condes de Portugal, um condado dependente do Reino de Leão. Após a morte de seu pai, Afonso tomou uma posição política oposta à da mãe, que se aliara ao nobre galego Fernão Peres de Trava. Pretendendo assegurar o domínio do condado armou-se cavaleiro e após vencer a batalha de São Mamede em 1128, assumiu o governo. Concentrou então os esforços em obter o reconhecimento como reino. Em 1139, depois da vitória na batalha de Ourique contra um contingente mouro, D. Afonso Henriques proclamou-se rei de Portugal com o apoio das suas tropas. A independência portuguesa foi reconhecida em 1143 pelo tratado de Zamora. Com a pacificação interna, prosseguiu as conquistas aos mouros, empurrando as fronteiras para sul, desde Leiria ao Alentejo, mais que duplicando o território que herdara. Os muçulmanos, em sinal de respeito, chamaram-lhe Ibn-Arrik («filho de Henrique»), tradução literal do patronímico Henriques) ou El-Bortukali («o Português»).



Museu Berardo



O Museu Colecção Berardo foi inaugurado em 2007, depois de o Estado português ter acordado com o comendador e coleccionador madeirense Joe Berardo a cedência gratuita das obras da sua colecção privada, 862 peças, avaliadas em 316 milhões de euros pela Christie's em 2006.
Na altura, foi criada a Fundação de Arte Moderna e Contemporânea da Colecção Berardo, cujo contrato prevê a cedência sem custos do Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém para fixação do museu até 2016, ano em que o Governo terá a opção de compra da colecção. Só então as obras poderão ser classificadas como património nacional. Desde Abril, o historiador de arte Pedro Lapa é o director artístico do museu.
Da inauguração até ao final de 2010, o museu, que mantém uma política de entradas gratuitas, mostrou 37 exposições e a fundação que o gere adquiriu cerca de 200 novas obras de arte. Factores que terão contribuído directamente para a subida no número de visitas.
Com 964.540 visitas, o museu lisboeta registou um crescimento significativo em relação ao ano anterior, 2009, subindo 25 lugares no top dos 100 museus mais visitados do mundo.

http://www.publico.pt/Cultura/museu-berardo-e-um-dos-50-museus-mais-visitados-do-mundo_1492526

Torre de Belém



A Torre de Belém foi construída na era das Descobertas (quando a defensa da cidade era de extrema importância) em homenagem ao santo padroeiro da cidade, São Vicente.Para melhorar a defesa de Lisboa, o rei João II desenhou um plano que consistia na formação de uma defesa constituída por três fortalezas junto do estuário do Tejo. Formava um triângulo, sendo que em cada ângulo se construiria uma fortaleza: o baluarte de Cascais no lado direito da costa, a de S. Sebastião da Caparica no lado esquerdo e a Torre de Belém na água (já mandada construir por D. Manuel I).Este monumento está repleto de decoração Manuelina que simboliza o poder do rei: calabres que envolvem o edifício, rematando-o com elegantes nós, esferas armilares, cruzes da Ordem Militar de Cristo e elementos naturalistas.Com o passar do tempo, e com a construção de novas fortalezas, mais modernas e mais eficazes, a Torre de Belém foi perdendo a sua função de defesa.
Durante os séculos que se seguiram, desempenhou funções de controle aduaneiro, de telégrafo e até de farol.Foi também prisão política, viu os seus armazéns transformados em masmorras, a partir da ocupação filipina (1580) e em períodos de instabilidade política. Finalmente, em 1983 a UNESCO classificou-a Património Cultural de Toda a Humanidade.


Dia 18 de Maio



Dia 18 de Maio marca o enfrentamento da violência sexual
Mais de 66 mil denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes, em quase oito anos de funcionamento do serviço Disque 100, foram registadas no Brasil até Março de 2011. A maioria das vítimas é do sexo feminino. Os dados, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, foram divulgados pelo Comitê Nacional de enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Nesta semana, uma série de actividades de mobilização reforçam a campanha permanente de combate a esse tipo de violação de direitos.
O 18 de Maio marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi escolhida como símbolo da luta pelos direitos de crianças e adolescentes, em lembrança ao sequestro da menina Araceli Cabrera Sanches, estuprada e assassinada aos 8 anos de idade, em 18 de Maio de 1973, em Vitória. O corpo foi encontrado seis dias depois, completamente desfigurado e com sinais de abuso sexual. Os responsáveis pelo crime não foram responsabilizados.
Prémio Neide Castanha - A principal actividade de mobilização será quarta-feira. No Palácio do Planalto, às 14h, haverá a entrega do Prêmio Neide Castanha, criado para homenagear a assistente social mineira que morreu em Janeiro de 2010. Ela actuava em favor dos direitos de crianças e adolescentes e esteve à frente do Comitê de enfrentamento à violência sexual. Serão premiadas boas práticas, produção de conhecimento, cidadania, protagonismo de crianças e adolescentes e responsabilidade social.
Disque Direitos Humanos - O Disque 100 é um serviço gratuito e funciona 24 horas por dia. A identidade de quem denuncia a violação de direitos contra crianças e adolescentes é preservada. Denúncias também podem ser feitas pelo portal.

Museu da Água



Em 1919, nas sessões de 30 de Abril e 2 de Maio da Assembleia Geral da Companhia das Águas de Lisboa, foi aprovado um conjunto de alterações ao Regulamento Administrativo em vigor desde 1908, o qual viria a ser reformado na sua totalidade, com a inclusão das referidas alterações, por uma comissão nomeada na Assembleia de 30 de Abril do ano seguinte.
De entre as alterações introduzidas, destaca-se a constante do Artigo 134º., referente à 3ª. Divisão da Repartição Técnica, designada por Trabalhos de desenho, Arquivo, Biblioteca e Museu:
“A esta divisão compete em geral a cordenação de todos os elementos necessários para a preparação de projectos e realização de obras e em especial:
Em 1950 a Companhia, necessitando de resolver o problema das instalações dos Laboratórios, optou por demolir as caldeiras da antiga Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, elementos que, tal como a chaminé também então demolida, se apresentariam num estado avançado de degradação. A Estação havia sido desactivada no final da década de 20, após a entrada em funcionamento, em 1928, da nova estação eléctrica.
Na remodelação, em que foi construído um 1º andar nos corpos sul e central do edifício, houve a preocupação de preservar as máquinas a vapor e as bombas, peças cuja beleza e estado de conservação justificavam a sua conservação como parte principal do património do Museu.
Para a antiga sala das caldeiras, no piso térreo, veio a colecção de peças que se vinha organizando na Sede da Companhia desde 1919, alargando-se desta forma o conceito de “museu” ao conjunto colecção – sítio, aqui materializado na colecção de peças instalada num edifício que é, ele próprio, património histórico, marco importante da arqueologia industrial.


http://pt.wikipedia.org/wiki/Museu_da_água

A história do Tabaco



Tabaco é o nome comum dado às plantas do género Nicotina, originárias da América do Sul, das quais é extraída a substância chamada nicotina. Os povos indígenas da América utilizavam o tabaco com fins medicinais, em cerimónias. Foi trazido para a Europa pelos espanhóis no início do século XVI. Era mascado, ou então aspirado sob a forma de rapé. O corsário Sir Francis Drake foi o responsável pela introdução do tabaco em Inglaterra em 1585, mas o uso de cachimbo só se generalizou graças a outro navegador, Sir Walter Raleigh. Um diplomata francês, de nome Jean vNicot (de onde deriva o nome da nicotina) aspirava-o moído (rapé) e percebeu que aliviava as suas enxaquecas. Desta forma, enviou uma certa quantidade para que a então rainha da França, Catarina de Médicis, o experimentasse no combate às suas enxaquecas. Com o sucesso deste tratamento, o uso do rapé começou a popularizar-se.
O hábito de fumar o tabaco como mera demonstração de ostentação se originou na Espanha com a criação daquilo que seria o primeiro charuto. Tal prática foi levada a diversos continentes e, somente por volta de 1840, começaram os relatos do uso de cigarro. Neste ponto, a finalidade terapêutica original do tabaco já havia perdido seu lugar nas sociedades civilizadas para o hábito de fumar por prazer. Embora o uso do cigarro tenha tomado enormes proporções a partir da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), foi apenas em 1960 que foram publicados os primeiros relatos científicos que relacionavam o cigarro ao adoecimento do fumador. Pesquisas em âmbito mundial a respeito dos perigos do tabagismo são amplamente divulgadas, não cedendo espaço para dúvidas ou más interpretações. Tais pesquisas vêm demonstrar que o significado médico-terapêutico do tabaco caiu por terra há décadas, cedendo lugar ao combate à dependência química que as substâncias constantes do cigarro causam:
- Câncro de pulmão- Câncro de boca- Câncro de laringe- Câncro de estômago- Leucemia- Infarto do miocárdio- Enfisema nos pulmões- Bronquite- Trombose vascular
Malefícios do tabaco
O tabaco é proveniente de uma planta chamada Nicotina. Nele encontramos, para além da nicotina, um número muito grande de outras substâncias tóxicas.
Habitualmente, o tabaco serve para ser fumado através do cigarro, do charuto ou cachimbo. No entanto, há quem prefira cheirá-lo (nesse caso usa rapé) ou então mascá-lo (é o chamado tabaco de mascar). O cigarro é o mais consumido, tanto pelos homens como pelas mulheres, e o seu uso pode acontecer em qualquer época da vida, provocando habituação. Os fumadores acabam por ficar viciados de tal forma que, mais tarde, quando querem largar o tabaco, têm imensa dificuldade, recorrendo então à ajuda de médicos e farmacêuticos.
Infelizmente, em Portugal, o primeiro contacto com o cigarro acontece muito cedo, por volta dos 12-14 anos, sobretudo entre os estudantes do sexo masculino.
Os fumadores podem apanhar doenças graves, tais como a pneumonia e o cancro. Sabe-se também que, quanto mais cedo se iniciam neste vício, mais dificuldade têm em libertar-se dele. Durante a gravidez, se a mãe fumar, o feto também “fuma", recebendo as substâncias tóxicas do cigarro através do cordão umbilical. A nicotina provoca o aumento do batimento cardíaco no feto e várias alterações de origem nervosa, para além de fazer diminuir o seu peso. Entre outras complicações que surgem durante a gravidez, o risco de aborto é maior nas mães que fumam.
Durante a amamentação, as substâncias tóxicas do cigarro são transmitidas também para o bebé através do leite materno. Os fumadores não são os únicos expostos ao fumo do cigarro, as pessoas que não fumam também são atacadas por ele; basta estar ao pé de um fumador para se ser também prejudicado

Museu Nacional de Arqueologia



O actual Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado em 1893 pelo Doutor José Leite de Vasconcelos. Em mais de um século de existência este Museu constituiu-se na instituição de referência da Arqueologia Portuguesa, com correspondência regular com museus, universidades e centros de investigação em todo o Mundo.
O acervo do Museu reúne as colecções iniciais do Fundador e de Estácio da Veiga. A estas somaram-se numerosas outras, umas por integração a partir de outros departamentos do Estado (por exemplo: colecções de arqueologia da antiga Casa Real Portuguesa, incorporadas no Museu após a implantação da República; colecções de arqueologia do antigo Museu de Belas Artes, incorporadas quando se criou o actual Museu Nacional de Arte Antiga; etc.), outras por doação ou legado de coleccionadores e grandes amigos do Museu (por exemplo: doações Bustorff Silva, Luís Bramão, Samuel Levy, etc.), outras mercês da intensa actividade de campo do próprio Museu ou de outros arqueólogos; outras ainda por despachos governamentais, ao abrigo da legislação aplicável, sempre que se considere o valor nacional de bens arqueológicos descobertos no País.
Concebido pelo Fundador para ser uma espécie de “Museu do Homem Português”, o MNA continua hoje com a mesma vocação básica, ou seja, contar a história do povoamento do nosso território, desde as origens até à fundação da nacionalidade.




Castelo de Beja

O castelo de Beja foi construído por volta de 1300, no tempo a que os historiadores chamam de Idade Média.
A torre de menagem do castelo de Beja é muito antiga. Pode dizer-se mesmo que é quase da idade de Portugal. Ela foi mandada construir no tempo do rei D. Dinis, embora tivesse tido obras durante os reinados seguintes.
Numa combinação de estilos românico, gótico, manuelino e maneirista, o monumento apresenta planta no formato pentagonal. Sem talude, a muralha, coroada por merlões prismáticos, possui adarve envolvente, estando flanqueada originalmente por quarenta torres (entre as quais a de menagem), rasgada por sete portas e dois postigos, e circundada por barbacãs.
A robusta Torre de Menagem, no estilo gótico, é considerada como um dos mais belos exemplos da arquitectura militar da Idade Média em Portugal. Elevando-se a quarenta metros de altura (a mais alta do país), é constituída por três pavimentos. A torre apresenta balcões angulares sobre matacões, unidos por varandins defendidos por ameias piramidais. É rasgada por portas ogivais e janelas geminadas, em arco de ferradura. As salas em seu interior, ricamente decoradas, apresentam tetos em abóbada em cruzaria de ogivas.
A porta principal do castelo abre-se em arco ogival e acessa a praça de armas. Das primitivas portas restam ainda duas de origem românica: a Porta de Évora, contígua ao castelo; e o arco da Porta de Avis. A Porta de Moura é defendida por dois torreões.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Castelo_de_Beja

Museu da Electricidade

Marco arquitectónico da cidade de Lisboa e detentor de uma fachada de inegável beleza, o edifício da Central Tejo foi um verdadeiro pioneiro no seu tempo no domínio da produção de electricidade. Hoje, e passado quase um século desde a sua construção, a Central assume, de novo, aspectos inovadores e de grande protagonismo enquanto Museu da Electricidade.
O núcleo principal da exposição permanente é a própria Central, ou seja, todo o conjunto de equipamentos que faziam parte da instalação da antiga unidade de produção e que, felizmente, se encontram ainda hoje com uma integridade assinalável. A exposição procura transmitir aos visitantes uma noção clara do funcionamento desta antiga central termoeléctrica de Lisboa, desde a identificação dos seus diversos componentes até à explicação do seu funcionamento.



quarta-feira, 4 de maio de 2011



http://www.youtube.com/watch?v=wgwS2-I08E8&nofeather=True

Hamster Musicos

Violência no Namoro




No dia 27 de Abril, a turma 5ºA, com outras turmas foi ao auditório da escola para ouvir uma palestra sobre “Violência no Namoro”. Para falar connosco estava lá uma senhora da Associação Portuguesa de Apoio á Vítima (APAV).
A senhora começou por nos perguntar se sabíamos o que era o namoro, se sabíamos o que era a violência no namoro e várias coisas mais. Falou-nos sobre várias coisas que acontecem entre casais. Disse-nos que ás vezes por ciúmes umas vezes da parte masculina e outras vezes da parte feminina pode acontecer algo grave. A violência no namoro acontece sempre que um dos conjugues exerce violência sobre o outro, o que pode acontecer com uma chapada ou com um murro ou ofendendo, Este tipo de situações pode levar a baixar a auto estima de uma pessoa e ela deixar de acreditar em si próprio. Por vezes pode ser mais grave ainda quando uma pessoa do casal acaba por matar a outra.
Depois de escutarmos esta sessão aprendemos que mais vale prevenir do que remediar. E deixamo-vos este conselho: se esta situação acontece contigo ou com alguém que tu conheças desabafa com um amigo, com um professor ou com um familiar teu. Mas também, se preferires, podes procurar a ajuda da APAV. Tudo o que lhes contares podes ter a certeza que não vai sair de lá! Receberás toda a ajuda que precisares.

Trabalho realizado por:Helena Santos nº11 e Diogo Silva nº6 da turma 5ºA

Violência no namoro e a APAV

No dia 27 de Abril de 2011, eu e a minha turma fomos assistir a uma sessão de sensibilidade, promovido pela associação APAV (Associação Portuguesa de Apoio à Vitima) sobre o tema “Violência no Namoro”.
Falou-se sobre vários casos desses. Foi pedido para os alunos que estavam a assistir dizerem o que sabiam sobre esses casos e quase todos disseram várias situações que sabiam de famosos ou amigos e familiares. Também questionou-se sobre o que é o “Namoro». Todos ficaram sem palavras pois sabiam e não queriam dizer à frente dos professores.
Falou-se ainda sobre a APAV e os seus objectivos. Se alguma vez nós ou um conhecido nosso necessitar ou tenhamos problemas, a APAV poderá ajudar-nos.
A violência no Namoro poderá ser de três maneiras:
- Psicológico;
- Físico;
- Sexual;
E que dentro dessas maneiras havia váriaa formas de exercer a violência sobre o outro:
- Humilhação
- Agredir fisicamente ou verbalmente
- Fazer amor sem se querer, etc.…
Falou-se das maneiras que os agressores têm de dar a volta às vitimas, pois eles agridem e depois oferecem prendas e dizem palavras bonitas, mas voltam sempre a repetir essas situações de violência e será sempre esse ciclo.

Agora para acabar, eu aconselho-vos a, se tiverem um problema destes não se escondam. Digam a alguém e procurem os serviços da APAV pois lá vão te ajudar e vais ultrapassar essa má fase da tua vida! Acredita em quem sabe e ajuda-te a ti mesmo!

Autor: Ian Hou

Ilustrador: Duarte Matos

Mosteiro dos Jerónimos

Perto do local onde o Infante D. Henrique, em meados do séc. XV, mandou edificar uma igreja sobre a invocação de Sta. Maria de Belém, quis o rei D. Manuel I construir um grande Mosteiro. Para perpetuar a memória do Infante, pela sua grande devoção a Nossa Senhora e crença em S. Jerónimo, D. Manuel I decidiu fundar em 1496, o Mosteiro de Sta. Maria de Belém, perto da cidade de Lisboa, junto ao rio Tejo. Doado aos monges da Ordem de S. Jerónimo, é hoje vulgarmente conhecido por Mosteiro dos Jerónimos.
O Mosteiro é um referente cultural que não escapou nem aos artistas, cronistas ou viajantes durante os seus cinco séculos de existência. Foi acolhimento e sepultura de reis, mais tarde de poetas. Hoje é admirado por cada um de nós, não apenas como uma notável peça de arquitectura mas como parte integrante da nossa cultura e identidade.
O Mosteiro dos Jerónimos foi declarado Monumento Nacional em 1907 e, em 1983, a UNESCO classificou-o como "Património Cultural de toda a Humanidade".





Mosteiro Da Batalha

Monumento memorial da batalha de Aljubarrota e panteão régio, cuja construção teve início em finais do século XIV com o patrocínio de D. João I, o Mosteiro dominicano da Batalha é o mais significativo edifício do gótico português. As suas vastas dependências constituem hoje um excelente exemplo da evolução da arquitectura medieval até ao início do século XVI, desde a experiência inédita do tardo-gótico à profusão decorativa do manuelino.
O Mosteiro da Batalha é o símbolo mais marcante da Dinastia de Avis. Construído por iniciativa de D. João I, na sequência de um voto à Virgem, caso vencesse a Batalha de Aljubarrota (1385), as obras iniciaram-se logo no ano seguinte, sob direcção do arquitecto português Afonso Domingues. Dessa fase resultou grande parte das estruturas da Igreja e duas alas do Claustro de D. João I.
Em 1402 o projecto sofreu uma mudança radical, sendo a direcção das obras assumida por Mestre Huguet, arquitecto estrangeiro, provavelmente catalão, que dotou o Mosteiro da Batalha de uma matriz gótica flamejante. A este período corresponde o abobadamento dos espaços da Igreja e da Sala do Capítulo, a construção da Capela do Fundador e, ainda, o início das obras das Capelas Imperfeitas. Pelos meados do século XV, construiu-se o Claustro de D. Afonso V, obra de Fernão de Évora, e que se filia no Gótico afonsino, corrente que rejeita a exuberância do estilo flamejante em benefício de linhas simples e austeras. No reinado de D. Manuel fecharam-se as janelas das galerias do claustro e retomaram-se as obras das Capelas Imperfeitas, projecto que se prolongou até à década de 30 do século XVI, já com a inclusão de elementos renascentistas, e que foi depois abruptamente abandonado pelas solicitações de outros monumentos no país, designadamente o Mosteiro dos Jerónimos.
Depois de um longo interregno, o Mosteiro da Batalha viria a ser objecto de novas obras - estas já de restauro - a partir de 1840. Durante mais de cinquenta anos o Mosteiro foi sistematicamente restaurado segundo critérios de retorno forçado à traça medieval, facto que não permite hoje um melhor conhecimento deste monumento durante a Idade Moderna. Em 1980, transitou das Finanças para a tutela do Ministério da Cultura, sendo dotado com um quadro de pessoal próprio, e três anos depois inscrito pela UNESCO na lista de Património Mundial. Aqui funcionam duas oficinas de cantaria e de vitral, iniciativas que se fundem com os objectivos mais amplos de investigação e divulgação do próprio monumento; na Batalha conserva-se, ainda, o mais importante núcleo de vitrais portugueses dos séculos XV e XVI, com campanhas da segunda e terceira décadas de Quinhentos na Sala do Capítulo e na Capela-mor. O Mosteiro acolhe, ainda, o arquivo e o espólio vitralístico da oficina de Ricardo Leone.Situado no centro da vila da Batalha, o Mosteiro está inscrito na lista do Património Mundial da UNESCO.


APAV

O que é a APAV?
A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) é uma instituição particular de solidariedade social, pessoa colectiva de utilidade pública, que tem como objectivo estatutário promover e contribuir para a informação, protecção e apoio aos cidadãos vítimas de infracções penais.
É, em suma, uma organização sem fins lucrativos e de voluntariado, que apoia, de forma individualizada, qualificada e humanizada, vítimas de crimes, através da prestação de serviços gratuitos e confidenciais.
Fundada em 25 de Junho de 1990, é uma instituição de âmbito nacional, localizando-se a sua sede em Lisboa.
Para a realização do seu objectivo, a APAV propõe-se, nomeadamente:
» Promover a protecção e o apoio a vítimas de infracções penais, em particular às mais carenciadas, designadamente através da informação, do atendimento personalizado e encaminhamento, do apoio moral, social, jurídico, psicológico e económico;
» Colaborar com as competentes entidades da administração da justiça, polícias, de segurança social, da saúde, bem como as autarquias locais, regiões autónomas e outras entidades públicas ou particulares de infracções penais e respectivas famílias;
» Incentivar e promover a solidariedade social, designadamente através da formação e gestão de redes de cooperadores voluntários e do mecenato social, bem como da mediação vítima-infractor e outras práticas de justiça restaurativa;
» Fomentar e patrocinar a realização de investigação e estudos sobre os problemas da vítima, para a mais adequada satisfação dos seus interesses;
» Promover e participar em programas, projectos e acções de informação e sensibilização da opinião pública;
» Contribuir para a adopção de medidas legislativas, regulamentares e administrativas, facilitadoras da defesa, protecção e apoio à vítima de infracções penais, com vista à prevenção dos riscos de vitimização e atenuação dos seus efeitos;
http://www.apav.pt/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=45&Itemid=63

Violência no Namoro


Foi no dia 27 de Abril, que a APAV (Associação Portuguesa de Apoio à Vítima) nos veio alertar de um problema social. É desse problema social, que se apelida de "NAMORO VIOLENTO" que vos vamos falar.

É esse problema que causa mortes por todo o país. Mas porquê??? Talvez a inveja e a necessidade de controlar o parceiro seja maior que o amor!?!

Talvez, talvez… Mas mal se detectem esses indícios, deve-se separar do parceiro. Se o caso for mais além, deve-se alertar as Autoridades Policiais ou de Saúde: Tribunais, Hospitais, Centros de Saúde, entre outros.

Enfim... Uma pessoa que sofra deste trauma, por assim dizer, deve evitá-lo imediatamente. Como já foi referido, estes maus-tratos podem levar à morte, no mínimo, à depressão.

Resumindo e concluindo:

O Namoro Violento é desnecessário! Há que evitá-lo!

Violência no namoro






O que é a violência no namoro?

Existe violência quando, numa relação amorosa, um exerce poder e controlo sobre o outro, com o objectivo de obter o que deseja.A violência nas relações amorosas surge quando:os rapazes pensam que:- têm o direito de decidir determinadas coisas pela namorada- o respeito impõe-se- ser masculino é ser agressivo e usar a forçaas raparigas acreditam que: - as crises de ciúme e o sentimento de posse do namorado significam que ele a ama- são responsáveis pelos problemas da relação - não podem recusar ter relações sexuais quando ele desejaA violência não conhece fronteiras de estratos sociais, faixas etárias, religiões, etnias, etc, e ocorre em todos os casais (hetero e homossexuais).

Se isto acontece contigo ou com alguém que tu conheças nós aconselhamos-te a ir a Associação Portuguesa de Apoio a Vitima (APAV). Lá encontraras a ajuda toda de que precisas.


O que é o assédio sexual?

Considera-se assédio sexual todas as palavras, gestos ou acções, não desejados, de natureza sexual explícita ou implícita, sentidos como ofensivos ou intimidatórios.Acontece frequentemente na rua, transportes públicos, bem como nas escolas e nos locais de trabalho.É constrangedor e afecta a pessoa na sua intimidade e privacidade.A União Europeia classifica o assédio sexual como forma de discriminação em razão do sexo desde 2002.